Como fazemos orçamento de parede por aqui!

August 17, 2017

Talvez a pergunta que mais ouvimos além de “que caneta vocês usam na parede?” (tem link pra essa resposta já :D ), seja “como vocês sabem o quanto cobrar?”. Por isso, já estava mais do que na hora de fazermos um texto explicando direitinho isso para os artistas entrando no ramo ou simplesmente para os curiosos mesmo!

 

A gente demorou muito pra entender quanto nosso trabalho valia. Muito mesmo. Sempre erramos para menos, então o começo da Lanó foi muito recheado de “acho que cobramos pouco”. Sabemos que é normal, e sinceramente não existe formula, então você acaba tendo que unir o bom senso à um pouco de experiência ganha mesmo. Vamos contar como fazemos atualmente.

 

Quando se trata de paredes, para pensar o orçamento pedimos basicamente as seguintes informações para os clientes: tamanho da parede, referência do desenho que ele quer, colorido ou não, e lugar onde ele mora. Só precisamos disso para saber qual vai ser o valor do trabalho. Com a experiência que temos já sabemos quanto tempo demoraríamos em média para fazer aquele desenho (sempre chutamos para mais porque as vezes tem algum imprevisto) e baseamos basicamente o orçamento nesse tempo. Não contamos por horas exatas, porque achamos isso difícil de medir mas contamos como “diária”. Diária leve, que seria um trabalho que leva até quatro horas; uma diária média que seria até seis horas; uma diária pesada que dura oito/dez horas. Se o desenho demora dois dias por exemplo, não cobramos duas diárias somadas, simplesmente porque para o segundo dia não temos o trabalho de planejar o desenho ou coisa assim. Normalmente um trabalho de dois dias fica em um valor próximo à uma diária e meia… deu pra entender? hehe.

 

Para essa parede levamos uma diária leve por exemplo 

 

Para essa foram duas diárias

 

 

Uma vez pensado o valor relativo ao tempo acrescentamos o valor dos materiais (caso não seja caneta), e o valor do transporte (caso o trabalho seja mais longe de nós).  

Sempre (passamos por poucas e boas antes disso) pedimos 50% do valor do trabalho assim que fechamos o trabalho e o restante quando terminamos. Assim fica confortável para os dois lados e o comprometimento fica claro. Pelo mesmo motivo não fazemos projeto para o desenho sem que o cliente tenha fechado o trabalho com a gente. Já tivemos caso em que fizemos mil rascunhos e no final acabaram não fechando o trabalho com a gente, foi ruim porque estávamos deixando de fazer outros trabalhos para isso, pode parecer radical mas é um jeito de se proteger. Ainda assim não é para toda parede que fazemos um projeto antes, cobramos um valor de rascunho, fazemos apenas quando o cliente faz muita questão ou é algo muito complexo. 

 

Temos uma tabela com nossos valores base. Como somos em duas e fazemos sempre juntas sabemos que o valor do desenho tem que começar em X para que o trabalho compense pra gente. Claro que no final não é assim tão exato passar um orçamento. Usamos tudo isso como base, o que já ajuda bastante, mas no final também usamos muito do que aprendemos até agora e baseamos o valor no que entendemos ser justo. 

 

Não estamos passando nossos valores base nesse texto não por ser algo secreto ou por preciosismo. É que dar o valor para o seu trabalho é algo extremamente pessoal. Conhecemos quem cobre R$ 500 reais para desenhar uma parede, e existem pessoas que cobrariam R$ 15 000 para uma parede do mesmo tamanho. Não tem certo ou errado, tem um pouco de auto conhecimento mesmo. Onde eu quero chegar com isso? Qual público que quero atingir? Como vejo meu desenho? Como entendo o acesso à arte? Qual é o meu padrão de vida? Quanto eu invisto nisso? Quanto eu acho que o meu trabalho vale?

 

Acho que é uma mistura de entender que esse é o seu trabalho, com o que você acredita. Então racionalmente temos que lembrar que nós duas vivemos disso, precisamos comer, pagar aluguel. Nós investimos dinheiro e tempo nos nosso desenhos e no nosso aprimoramento. Por esse motivo você tem que montar seus valores com base em dados, gastos e ganhos, público que você quer atingir e lucro; afinal é um trabalho como outro qualquer. Ao mesmo tempo tem um pouco da sua filosofia e até mesmo auto crítica. O quanto eu acho que o meu trabalho deveria valer? É um linha bemmm pessoal. E que também está em constante mudança.

 

À todos desejamos uma boa sorte! :)

 

Esperamos ter ajudado e qualquer dúvida é só mandar um e mail. 

 

Share on Facebook
Please reload